Psicosexologia

A Psicologia, o Atendimento Psicológico e a Clínica constituem um espaço para as pessoas sentirem-se acolhidas e encontrarem uma possibilidade de cura.

​Sexualidade sempre foi minha paixão dentro da  atividade de Psicologia Clínica, e justamente por ainda ser permeada pelo preconceito. Há pessoas que pensam que a psicologia apenas ajudam aqueles que estão sem conexão com o mundo. O Atendimento Psicológico também tem esta função, mas antes disso a prevenção é imprescindível nas relações humanas, interpessoais e principalmente a sexual.

A psicologia e a sexualidade

O conceito de identidade sexual e a própria sexualidade humana são objetos de transformação e passam pela aceitação do que a sociedade julga como anormal. A ordem cultural influencia na interação com aquilo que é considerado diferente. Neste contexto, a psicologia tem o papel de compreender e acolher pessoas cuja sexualidade não se encaixa nos padrões pré-estabelecidos como normais pela sociedade.

O indivíduo que busca ajuda da psicologia para entender e aceitar a sua condição sexual deve encontrar um profissional que compreenda a sua identidade, orientação e prática sexual como expressões afetivas e naturais dos desejos. É fundamental que ele tenha a plena convicção de que encontrará nesse profissional alguém que não o julgue ou discrimine. A psicologia não pode e não deve encarar esses casos como transtornos psicopatológicos porque não o são.

Como o psicólogo deve contribuir no processo?

Primeiramente é necessário que o profissional tenha de forma clara em mente que a orientação sexual não configura indicação de enfermidade mental e que respeite – sem julgamentos de qualquer natureza -, os relacionamentos das pessoas. O profissional precisa estar ciente das dificuldades causadas pelo estigma social aos membros dos grupos e da violência física e psíquica que estes podem sofrer colocando em risco a sua saúde mental.

A homofobia e os demais preconceitos são fatores que influenciam diretamente na autoestima e na autoaceitação das pessoas que vivem o problema, podendo afetar diretamente a maneira como eles chegam à terapia e como participam no processo terapêutico.

O psicólogo precisa ter o seu conceito de casal e família ampliado e não estar preso às ideias de casal formado apenas por duas pessoas de sexos diferentes. Além disso, deve ter consciência de suas próprias limitações e preconceitos a respeito do tema para que isto não venha a influenciar no tratamento com o paciente.

 

A psicologia e o atendimento psicológico estão envolvidos em quase todos os setores da sociedade ajudando a melhorar e a encontrar caminhos para a conquista do bem-estar. As pessoas buscam a felicidade, o controle emocional,  a psicologia os ajuda a escutarem os seus próprios conflitos, favorecendo, portanto, o crescimento, a maturidade e meu objetivo é também favorecer a saúde sexual das pessoas.

Psicóloga e Consultora em Saúde e Educação Sexual

Mônica Lima Souza

CRP: 09/6660

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

<