Poliamor

Trata-se de uma real e diferente maneira de amar chamada de “poliamor”, que descreve relações amorosas que recusam a monogamia como princípio ou necessidade.

O conceito do poliamor não é muito aceito pela maioria das sociedades ocidentais, baseadas na ideia tradicional da monogamia – uma relação exclusiva entre duas pessoas, onde o envolvimento com outros parceiros sexuais ou afetivos fora do relacionamento é condenado.

o que há de errado sentir amor e desejo por duas ou mais pessoas ao mesmo tempo? Nada. Não há absolutamente nenhum motivo para se sentir culpado, sempre que você estiver agindo com sinceridade e honestidade, e essa é precisamente a parte complicada.

O poliamor não é um relacionamento livre. Em um relacionamento livre, os dois integrantes da relação procuram outros companheiros sexuais, mas não convivem nem costumam criar um vínculo além do sexual.

O poliamor também não é um intercâmbio de casais, já que a troca de casais é simplesmente ter relações sexuais criativas com outros casais.

O poliamor não é um trio, porque não se trata só de sexo e sim de um relacionamento mais profundo com duas ou mais pessoas.

O poliamor consiste em ter uma relação amorosa e sexual com várias pessoas ao mesmo tempo, e em fazer com que essa relação seja duradoura.

Evidentemente nem todo mundo é feliz com as mesmas coisas, nem tem a mesma forma de ver e viver as relações. De fato, algumas pessoas são felizes em relacionamentos de casais monogâmicos e o vivem plenamente.

A infidelidade nos casais monogâmicos, às vezes, expõem a natureza poliamorosa do ser humano. Eles permitem-se mais de um relacionamento amoroso simultâneo, não vêem o sexo como a base de uma relação, seguem o impulso natural do ser humano de se relacionar com várias pessoas ao mesmo tempo e não sentem ciúme.

Mônica Lima Souza 
CRP: 04/00714 
                                                                                                                                 
    
(34) 9 9638 8887
(34) 9 9149 4154

Deixe uma resposta

<